Fatores associados à cesariana segundo fonte de financiamento na Região Sudeste: estudo transversal a partir dos dados de pesquisa 'Nascer no Brasil' Inquérito Nacional sobre Parto e Nascimento [depoimento e entrevista]

Data

2016

Idioma

Português

Assunto

CESÁREA
SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (COMPARAÇÃO)
SAÚDE SUPLEMENTAR (COMPARAÇÃO)
FINANCIAMENTO DA ASSISTÊNCIA À SAÚDE
SAÚDE DA MULHER
CONDIÇÕES DE SAÚDE
FATORES SOCIOECONÔMICOS
FATORES DE RISCO
SAÚDE PÚBLICA
ESTUDOS TRANSVERSAIS

Fonte

Depoimento e entrevista baseados na tese defendida na FSP/USP: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6136/tde-07042015-113624/

Direitos

É autorizado o armazenamento e disponibilização em bases de dados para acesso universal, uso por rádios comunitárias e mídia em geral, por período indeterminado, desde que de forma gratuita e visando a educação e a promoção da saúde. Os créditos e o mérito pelo trabalho devem ser atribuídos adequadamente.

Formato

mp3

Entrevistado

Alonso, Bruna Dias

Duração

4 min 17 seg (depoimento), 5 min (entrevista)

Entrevistador

Malinverni, Cláudia

Editor de som

Okawa, Sérgio Hissao

Coordenador

Conceição, Maria Imaculada da

Produtor

Biblioteca da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo

Local

São Paulo

Resumo da tese

Introdução: Sabe-se que a cesariana sem indicação clínica está associada a desfechos adversos para a saúde da mulher e de seus filhos a curto e longo prazos. A variação da proporção de cesáreas entre serviços e países não pode ser explicada somente por características inerentes à mulher. Fatores como a fonte de financiamento da assistência também têm forte influência sobre a via de nascimento. Objetivo: Descrever e comparar os fatores socioeconômicos, demográficos, clínicos e obstétricos associados à cesariana entre mulheres assistidas no Sistema Único de Saúde (SUS) e no setor de saúde suplementar (SSS). Método: Estudo transversal, a partir dos dados do inquérito Nascer no Brasil, referentes à Região Sudeste. A amostra foi composta por puérperas que tiveram recém-nascidos vivos, natimortos (peso 500 gramas e/ou idade gestacional 22 semanas) e parto normal ou cesariana, em hospitais com 500 partos em 2007. A associação entre a cesariana e as variáveis estudadas foi verificada por meio de regressão logística binária univariada e múltipla. Calcularam-se odds ratios (OR) brutas e ajustadas e intervalos de confiança (IC) de 95 por cento . Resultados: A amostra foi composta por 9.828 mulheres. A taxa de cesariana foi de 52,9 por cento , com proporção maior no SSS (84,0 por cento ). Ser adolescente (SUS: OR=0,68; IC 95 por cento 0,57-0,81/SSS: OR=0,48; IC 95 por cento 0,27-0,84) e ter o nascimento assistido em hospitais de alguma das capitais (SUS: OR=0,39; IC 95 por cento 0,34-0,45/SSS: OR=0,48; IC 95 por cento 0,36-0,65) ofereceram chances menores para cesárea nos dois financiamentos. Exercer trabalho remunerado (SUS: OR=1,32; IC 95 por cento 1,16-1,51/SSS: OR=2,94; IC 95 por cento 2,14-4,03), ter cesariana anterior (SUS: OR=22,06 IC 95 por cento 18,33-26,56/SSS: OR=64,48; IC 95 por cento 32,78-126,84), ser primípara (SUS: OR=4,86; IC 95 por cento 4,16-5,69/SSS: OR=8,37; IC 95 por cento 5,96-11,75) e ter apresentado intercorrências durante a gestação (SUS:OR=9,27; IC 95 por cento 8,17-10,53/SSS:OR=3,09; IC 95 por cento 2,22-4,31) representaram chances aumentadas para cesariana entre mulheres assistidas no SUS e no SSS. Estiveram associados independentemente à cesariana, apenas no SUS: ter 35 anos ou mais (OR=1,36; IC 95 por cento 1,09-1,69); ter cursado ensino superior ou mais (OR=2,53; IC 95 por cento 1,78-3,59); não ter companheiro(a) (OR=0,78; IC 95 por cento 0,68-0,90); pertencer às classes econômicas A, B ou C (respectivamente: OR=1,72; IC 95 por cento 1,39-2,12/OR=1,29; IC95 por cento 1,09-1,53) e ter apresentado intercorrências durante o trabalho de parto (OR=3,18; IC 95 por cento 2,62-3,85). Conclusões: A fonte de financiamento foi determinante na indicação da cesariana no SSS, uma vez que se sobrepôs à maioria dos fatores socioeconômicos, demográficos, clínicos e obstétricos. Já no SUS, determinantes sociais referentes à melhor condição socioeconômica se associaram à cesariana

Coleção

Referência

“Fatores associados à cesariana segundo fonte de financiamento na Região Sudeste: estudo transversal a partir dos dados de pesquisa 'Nascer no Brasil' Inquérito Nacional sobre Parto e Nascimento [depoimento e entrevista],” e-Coleções FSP/USP, acesso em 19 de setembro de 2020, http://colecoes.sibi.usp.br/fsp/items/show/2959.

Formatos de Saída

Relações entre os itens

This item has no relations.